Quem irá manter o sonho da Libertadores vivo?

Estádios lotados neste meio de semana irão ditar o ritmo e definir quem irá continuar vivo na luta pelo título da Libertadores de 2018. Pacaembu, Arena do Grêmio, Arena Corinthians, Mineirão e Allianz Parque terão novos capítulos em suas histórias.

Com a decisão sobre Carlos Sanchez, o Santos se encontra com situação complicada, já que o julgamento deu a vitória por 3 x 0 por conta da escalação irregular, em falha da Conmebol Depois de um começo de trabalho complicado, Cuca parece ter achado o time e vejo o time paulista com totais chances de vencer em casa, mas não por goleada. Santos consegue vitória, mas se despede da Libertadores de cabeça erguida nesta terça.

Com claro foco na competição, o Grêmio decide contra o Estudiantes, com o ponto favorável de ter feito gol fora de casa. Saindo na frente, desestabiliza o adversário, que terá que abandonar o jogo de catimba (que deve ser a postura inicial em Porto Alegre). Vejo o time de Renato Gaúcho com o um dos melhores do Brasil desde o ano passado e o clima copeiro deve fazer o time avançar na competição.

Os dois times de maior torcida do Brasil terão problemas para se classificar. O Corinthians de Loss não convence , com problemas em todos os setores (defesa perdeu a solidez, meio não cria e ataque inofensivo). Parece jogo que a torcida terá que carregar o time. O histórico de problemas , com expulsões em jogos assim deve atuar contra o time paulista. Valdivia deverá ser o nome do jogo, provocando os adversários o tempo todo. Para mim, o alvinegro perde a cabeça novamente em uma Libertadores e se despede com empate. Já em Minas, a torcida do Cruzeiro deve empurrar o time para receber o Flamengo que precisa reverter um placa adverso de 2 x 0 (no jogo do Maracanã). Mano Menezes deve jogar com o regulamento embaixo do braço e Barbieri deverá amargar eliminação complicada fora de casa, que aumentará a desconfiança em relação ao técnico (depois de perder a ponta do Brasileiro). A partida no Mineirão termina em empate.

Finalizando, vejo que o Palmeiras, com a ótima vitória fora de casa e com Felipão em lua de mel deve ter uma classificação tranquila em casa frente o Cerro, vencendo o time paraguaio. Acredito até que a sequencia sem levar gols deve aumentar. Scolari não deve dar sopa para o azar e deve montar um time que irá controlar o jogo e garantir a classificação sem grandes problemas.

Scolari surpreende em seu reinicio pelo Palmeiras

Quando o Palmeiras anunciou a volta de Felipão, fui contrário a decisão da direção alviverde, por acreditar que se tratava de um técnico defasado e que viria muito mais pela história do que pela qualidade atual. A sequencia de resultados e principalmente o 9º jogo sem ser vazado já fazem com que eu comece a rever esta opinião.

O técnico está conseguindo que o time mantenha uma qualidade, independente dos nomes escolhidos. Definir quem é titular e quem é reserva do time está complicado, por conta do crescimento e confiança de alguns jogadores nas mãos de Scolari. Os casos mais evidentes são de Lucas Lima, Dudu e até Deyverson. Fora isso, a solidez defensiva merece aplausos. A postura contra o Inter, mesmo com um time mesclado foi elogiável. Criou lances, dominou o primeiro tempo e poderia ter voltado para SP com os três pontos na bagagem.

O lado motivacional, esperado na chegada de Felipão, parece ter sido uma aposta certeira. Com o empate, entrou no G4 e ganha moral para continuar vivo nas três frentes em disputa (Copa do Brasil, Libertadores e agora até o Brasileiro).

Loss chegou ao seu limite. Direção deveria demitir o treinador

Nos dias de hoje, a tendência é sermos imediatistas. Analisar jogadores e treinadores com base em poucos jogos . Bastam uma semana para definição de “deuses” e “imprestáveis”. No caso de técnicos, acredito que é necessário tempo para que um trabalho seja implementado. Para que ele possa testar alternativas táticas, ter chance de apostar e errar em suas escolhas.

Por conta disso e pela falta de opções no mercado, entendi a manutenção de Osmar Loss no comando do Corinthians na parada da Copa. Mas apesar de vitórias, não foi possível notar melhoria no tempo que ele teve com o time. Se não fosse por grandes atuações de Cássio e Walter, o time não teria conquistado as vitórias do Brasileirão, se classificado para a semifinal da Copa do Brasil e não estaria vivo na Libertadores. O elenco está longe de ser dos melhores, isso é fato. Mas também é fato que perdeu a solidez defensiva, conta com um ataque inofensivo e não mostra melhoras. Os jogos contra Chapecoense , Grêmio e Fluminense evidenciam isso.

Se o foco é na Copa do Brasil, acredito que a diretoria deveria demitir o treinador o quanto antes. Mesmo sabendo que as opções são limitadas, omitir-se não é a melhor decisão. Se o time não melhorou de junho até perto do fim de agosto, acho que manter Loss é dar adeus a chance de qualquer título e até começar a ter sérias preocupações com rebaixamento.

Minha opinião seria de demissão nesta quarta, trazer algum nome do mercado para um choque de realidade, apostar no “fator novo” para o jogo de volta contra o Colo-Colo e pelo menos duas semanas de trabalho para preparar o time para os jogos contra o Flamengo pela Copa do Brasil.

Balanço e futurologia ao fim do 1° turno

O primeiro turno do campeonato “terminou” neste fim de semana (entre aspas já que temos rodada hoje e times com jogos pendentes) com torcedores na ponta da tabela sorrindo à toa e os demais ressabiados. Hoje temos o Palmeiras (sexto colocado) com 7 pontos de vantagem para Corinthians e Cruzeiro. A mesma diferença que os separa do Vitória (primeiro no Z4).

Com o fechamento da nossa janela de contratações do exterior, reforços agora só de quem não completou o limite de jogos na série A ou jogadores de divisões inferiores. Dificilmente alguém pode chegar para qualificar os times nacionais. O mesmo não ocorre para as saídas, onde temos até o dia 31 para contratações nas grandes ligas.

Um turno inteiro para ser disputado representa 57 pontos em jogo, mas salvo alguma queda ou melhora significativa , o fim do primeiro turno definiu quem vai lutar pelo título, pelos fatores de pontuação e elenco e um dos rebaixados. O Paraná terminou na lanterna, 5 pontos atrás do Vasco (com três jogos a menos) , primeiro fora do Z4. Se a pontuação faz com que o time não deva jogar a toalha, o elenco e desempenho me fazem acreditar que a série B será realidade do clube paranaense em 2019. Apenas 3 vitórias e 9 gols marcados é campanha de rebaixado.

Para os outros três rebaixados, acredito que em mais dez rodadas devemos ter uma ideia mais clara de quem vai lutar contra o Z4, pois a lista é muito extensa e com exceção dos que estão no G6 e o Cruzeiro, os demais devem sim se preocupar em garantir pelo menos os “mágicos” 45 pontos.

Tanto em quem deve pensar em fugir do rebaixamento como para quem ainda sonha com título, de forma que só acontece no Brasil, o sucesso em outras competições pode prejudicar o desempenho no Brasileiro. Flamengo , Corinthians, Palmeiras e Cruzeiro (vivos na Libertadores e Copa América), Grêmio e Santos (ainda na Libertadores) passam por isso. O time carioca é o mais preocupado com isso. A falta de priorização já fez o time perder a liderança do Brasileiro e pode custar caro.

Na contramão temos os casos de São Paulo, Internacional e Atlético-MG. Não apenas mantiveram seus principais jogadores como conseguiram reforços importantes e estão focados apenas no campeonato Brasileiro. O Galo subiu de produção nos últimos jogos, mas os outros dois times merecem os elogios e destaque. O Inter embalou e não por acaso terminou o turno na segunda posição, enquanto que o São Paulo fez sua melhor campanha na história dos pontos corridos, inclusive sabendo trabalhar para poupar o elenco.

Salvo algo muito fora da curva, os três citados devem se manter vivos na luta pelo título, com Flamengo e Cruzeiro correndo por fora. Grêmio e Palmeiras devem ficar atrás por conta do foco nas competições eliminatórias.

O que vocês acharam da convocação de Tite?

Nesta última sexta , tivemos a primeira convocação de Tite (agora de contrato renovado) para os amistosos contra Estados Unidos e El Salvador. Como esperado, tivemos algumas novidades de jovens que mereciam ser testados.

Por conta do eterno conflito no calendário, o treinador optou por não convocar mais de um jogador de clubes brasileiros. Outro destaque foi a mudança em relação a contar sempre com pelo menos um jogador do sub-20 (para ganhar experiência). O escolhido foi o goleiro Hugo (Flamengo). Também é importante citar que Ederson foi dispensando por motivos particulares, fato que fez com que Neto tenha sido chamado em seu lugar.

Apesar de sentir falta de alguns nomes, no geral gostei da convocação no que diz respeito as novidades, mas discordo da manutenção de alguns nomes, que não devemos contar para a próxima Copa.

Jovens jogadores

A convocação de Arthur (Barcelona) era praticamente certa e não chega ser surpresa, mas é merecida. Confesso que conheço nada de Andreas Pereira, mas alguém que jogar pelo time principal do United e que poderia ir para seleção belga deve ter seu valor. Lucas Paquetá vem sendo um dos principais jogadores do Flamengo e já constava na pré-lista. Um dos que mais torço para que aproveite sua chance e se mantenha para as próximas convocações. E Pedro aparece como uma grata surpresa pelo Fluminense, sendo um atacante que em breve irá para o mundo europeu.

Novidades

A presença de Neto do Valência é o sinal que a disputa de terceiro goleiro está em aberto. Acho interessante que Dedé (Cruzeiro) tenha ganhado chance, mas pela idade não acredito que seja nome para contarmos para o próximo ciclo. O mesmo ocorre com Felipe (Porto), que com 29 anos vem se destacando na Europa, pode até ir um clube maior no próximo ano, mas não seria nome para a Copa no Qatar. Alex Sandro (Juventus) larga na frente para assumir a titularidade na lateral esquerda e Fabinho (Liverpool) pode ganhar espaço na lateral direita (outra posição em aberto). E Everton (Grêmio) esta sendo o responsável pelos bons resultados do time gaúcho e sua convocação é mais que merecida.

Base mantida

Apesar das novidades , Tite optou por manter a base da Copa. O lado negativo é que a convocação de alguns nomes impediu que ele optasse por novidades do meio para frente. Acredito que ele poderia ter deixado de convocar Renato Augusto, Douglas Costa e Willian e dar espaço para outros nomes.

Ausências

Ao meu ver, as principais ausências são de outros jogadores que poderiam ser testados e a lista é grande. David Neres (Ajax), Richarlison (Everton), Malcom (Barcelona),Vinicus JR (Real Madrid) e Rodrygo (Santos) poderiam ter aparecido nesta lista.

Lista completa

 Goleiros

  • Alisson (Liverpool-ING)
  • Neto (Valencia-ESP)
  • Hugo (Flamengo)

Laterais

  • Alex Sandro (Juventus-ITA)
  • Fabinho (Liverpool-ING)
  • Fagner (Corinthians)
  • Filipe Luís (Atlético de Madrid-ESP)

Zagueiros

  • Dedé (Cruzeiro)
  • Felipe (Porto-POR)
  • Thiago Silva (Paris Saint Germain-FRA)
  • Marquinhos (Paris Saint Germain-FRA)

Meio-campistas

  • Andreas Pereira (Manchester United-ING)
  • Arthur (Barcelona-ESP)
  • Casemiro (Real Madrid-ESP)
  • Fred (Manchester United-ING)
  • Lucas Paquetá (Flamengo)
  • Phillipe Coutinho (Barcelona-ESP)
  • Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN)

Atacantes

  • Douglas Costa (Juventus-ITA)
  • Everton (Grêmio)
  • Firmino (Liverpool-ING)
  • Neymar (Paris Saint Germain-FRA)
  • Pedro (Fluminense)
  • Willian (Chelsea-ING)

No sufoco, favoritos garantem sua vaga na semifinal da Copa do Brasil

Nesta última quarta tivemos a confirmação de três semifinalistas da Copa do Brasil , competição que se tornou extremamente atrativa para os clubes brasileiros, por conta do aumento da premiação deste ano. Quando as quartas de final foram sorteadas, os palpites eram que Corinthians, Cruzeiro e Palmeiras confirmassem vaga. A dúvida ficava em relação ao duelo Flamengo x Grêmio.

O Cruzeiro sofreu mais que o esperado frente um Santos ainda em estruturação e fugindo do rebaixamento. Depois de vencer na Vila e sair na frente, o time mineiro colocou o regulamento embaixo do braço e quase foi punido por isso. o Santos virou a partida e se não fosse uma lambança do juiz, poderia ter feito o 3 x 1 que garantiria a classificação surpreendente. Inclusive, o término da partida antes dos acréscimos iniciais foi prejudicial ao emocional dos jogadores santistas. Na decisão por penalidades, Fábio sobrou e defendeu as três cobranças e brilhou , garantindo o Cruzeiro em uma das semifinais, esperando o vencedor de Palmeiras x Bahia.

A outra semifinal no papel já tem favorito no “clássico das multidões”. O Flamengo não está na ponta do Brasileiro por acaso. O time titular é qualificado e as opções de elenco fazem com que Barbieri possa alternar o elenco. Apesar do placar magro, o time carioca conseguiu sua vaga frente o forte time do Grêmio sem grandes sustos. O que pode gerar problemas é a falta de foco do time, que está jogando com força máxima em todas as competições que está disputando. O que pode aliviar o lado rubronegro é a situação complicada na Libertadores, onde precisa reverter o placar de 2 x 0 frente o Cruzeiro.

O Corinthians, azarão contra o Flamengo , teve uma classificação sem convencer. Venceu a Chapecoense em um jogo sofrível, recheado de passes errados dos dois lados e um gol conseguido na base da sorte de Jadson e falha de Jandrei. Uma partida fraca tecnicamente, mas onde o time de Loss fez valer o regulamento e a vantagem da primeira partida. Mas é fato que o time não está jogando bem, com a defesa apresentando diversas falhas e o ataque ineficiente. Terá que melhorar muito para superar o time carioca.

Z4 é logo ali

O fim do primeiro turno esta próximo e o rebaixamento faz parte dos pesadelos frequentes de diversos clubes e acredito que neste ano teremos pelo menos um grande caindo de divisão.

Paraná, Atlético-PR e Ceará ocupam respectivamente as 20º, 19º e 18º posição, mas melhoraram demais depois da parada da Copa e continuam vivos. Só citar que a diferença para o Vitória (primeiro fora do Z4) para o último é de 5 pontos. Nada impossível de ser alcançado.

Usando a mesma lógica é o que faz perceber que diversos clubes devem temer o rebaixamento. A diferença do Santos (17º – primeiro no Z4) para o Fluminense (9º colocado) é de apenas 4 pontos.

E se alguns clubes mostram poder de reação, temos que apontar aqueles que voltaram da Copa tropeçando ou até pioraram. O Santos, mesmo com mudança de treinador, não chegou ao Z4 por acaso. Outro que mudou de treinador e caiu de desempenho é Jorginho (não a toa, o técnico já esta ameaçado de demissão, mesmo com pouco tempo de trabalho). E o Sport, que chegou a estar entre os ponteiros, não sabe o que é vencer desde o retorno da competição e mais uma vez vai lutar para não cair. Briga para fugir da série B será intensa.

São Paulo vence e pressiona os rivais

Perto do fim do primeiro turno, o São Paulo mostra uma regularidade impressionante e não só se credenciou como um dos favoritos ao título como hoje virou o time a ser batido. Com apenas duas derrotas na competição, o time Aguirre vem subindo de produção rodada após rodada. O trabalho do treinador dando frutos, mesmo rodando o elenco.

A direção merece elogios por ajudar a manter o elenco e ter tido sorte e competência nos reforços. Everton e Rojas entraram muito bem no time. E o técnico uruguaio conseguiu achar o encaixe do time com Nenê e Diego Costa, questionados no começo do ano e hoje pilares dessa campanha. Não vejo o time perdendo jogadores nesta janela de meio de ano.

E até mesmo o tropeço na Sul Americana pode ser positivo. Caso o São Paulo não reverta o resultado contra o Cólon, irá poder se focar apenas na competição nacional ao passo que seus rivais diretos ( com exceção do Internacional) pretendem terminar o mês vivos nas competições eliminatórias (Libertadores e Copa do Brasil) , deixando o caminho mais fácil para o Tricolor paulista.

Depois de temporadas sofrendo contra o rebaixamento, o são paulino pode finalmente sonhar com o título nacional.

Cássio evita o pior. Corinthians ainda respira na Libertadores

É absurdo que em 2018 ainda estejamos falando do lado emocional dos jogadores brasileiros em Libertadores contra os vizinhos hermanos. O Corinthians foi juvenil frente um limitado Colo Colo e pode ter despedido da competição nesta última quarta. Só não o fez por conta de mais uma atuação de alto nível de Cássio (voltou da Copa salvando o time jogo após jogo).

O goleiro esta trabalhando bem mais por conta da falta de entrosamento do setor defensivo (Pedro Henrique na zaga, Avelar na lateral esquerda e Douglas que chegou “ontem” e já assumiu a titularidade). Mas é inadmissível a postura do time frente o time chileno. O Corinthians desmontado do segundo semestre possui um time tecnicamente melhor que seu adversário. Depois de minutos iniciais de foco, a impressão era que o alvinegro tinha se encontrado em campo, com trocas de passe no setor ofensivo e marcação bem postada. Mas bastaram alguns lances mais fortes para que o Corinthians perdesse a cabeça e colocasse Cássio para trabalhar.

O goleiro praticou ao menos cinco defesas difíceis ao longo do jogo, uma delas no lance do gol, onde no rebote a defesa ficou apenas olhando. O goleiro chileno foi mero espectador o jogo inteiro. O ataque alvinegro foi nulo. Jadson novamente bem marcado, Clayson longe do jogador que foi importante no ano passado ( merecendo banco), Pedrinho abusando indevidamente de lances individuais e Romero mais preocupado em arrumar confusão do que jogar. E indiretamente, o paraguaio foi responsável pela expulsão de Gabriel.

Romero levou um pisão que merecia expulsão do adversário (VAR teria resolvido isso) e minutos depois o volante foi irresponsável e foi para o revide, deixando o time com um a menos. O que estava ruim , piorou. O prejuízo só não foi maior pela atuação de Cássio e pelas limitações técnicas do Colo Colo. Com exceção de Valdivia (que tomou conta do meio campo e fez grande partida), os demais jogadores tinham dificuldade para trocar três passes seguidos.

A vaga ainda esta em aberto. Mas Loss (que também foi mal, ao demorar para mexer no time) terá que acalmar o time e entender que o resultado precisará vir na bola. Os chilenos terão postura ainda pior no jogo da volta, tentando pilhar os brasileiros desde o primeiro minuto. O lado emocional vai decidir a vaga para as quartas.

Clubes maiores que seleções

Apenas para os técnicos brasileiros a seleção é vista como um ponto alto na carreira, como meta profissional para os melhores, fato que deixa claro que a nossa mão de obra deixa a desejar, não só pensando em treinadores europeus como também em relação aos nossos vizinhos sul americanos. Prova disso é ver a quantidade de treinadores da região que estarão trabalhando na Copa e saber que os melhores do mundo normalmente não são seduzidos por um convite, vide as negativas que seleções como Argentina, Itália e Inglaterra receberam de nomes de ponta sondados.

Nove sul americanos estarão na Copa. Cinco representando a Argentina e dois a Colômbia. Nós “completamos” essa lista com um nome, junto da Colômbia.

Essa meta brasileira se deve muito à falta de visibilidade / interesse no mercado europeu, até mesmo em clubes pequenos lá fora. Tite, nosso atual técnico canarinho sabe que depende de um bom trabalho para abrir portas no Velho Continente. O currículo recente de conquistas no Brasil foi mais que suficiente para que ele assumisse com méritos a seleção brasileira, mas não foi suficiente para receber um convite da Europa. Apenas agora, com seu trabalho frente a seleção que seu nome foi cogitado.

Verdade que foi em um gigante europeu (Real Madrid) e o treinador (que não foi a primeira opção) pode ter visto o “bonde passar, por optar pela recusa em conversar no momento. O time galáctico , depois de receber negativas de técnicos empregados, sondou o técnico Lopetegui, até então, comandante da Espanha.

O meio de ano é sempre movimentado em termos de negociações e não seria diferente neste ano. Mas um possível conflito de interesses fez com que a federação espanhola demitisse o treinador, com a Copa prestes à começar e efetivasse o ex-jogador Hierro como comandante, que era o diretor técnico da seleção espanhola.

O agora técnico do Real Madrid fez a decisão correta. Irá trabalhar em um time de ponta, com um elenco recheado e com dinheiro em caixa suficiente para montar um ótimo time, que se enquadre em sua forma de jogar e agora com tempo para preparar o time. Apenas acho que a seleção espanhola poderia ter mantido o treinador no comando, deixando que ele pudesse dar andamento ao trabalho já realizado. Agora, um dos favoritos ao título vira um ponto de interrogação. Hierro vai mexer na forma de jogar? Os jogadores vão “carregar” o time?

Resta apenas aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Copyright © All Rights Reserved · Green Hope Theme by Sivan & schiy · Proudly powered by WordPress

%d blogueiros gostam disto: