VAR decide e Grêmio dá adeus a Libertadores

Me preocupava o desempenho do Grêmio nos jogos de volta pelas oitavas e quartas de final da Libertadores. Sofreu além do esperado e ontem isso se repetiu. Vimos um River consciente do que precisaria fazer e sufocando o time brasileiro durante toda primeira etapa. Merecia ir para a segunda etapa com pelo menos dois gols a favor. Mas como diz o ditado, quem não, toma.

Leonardo, uma das surpresas na escalação gaúcha acertou lindo chute e aumentou a vantagem gremista. E na segunda etapa a situação se inverteu. O Grêmio voltou muito melhor, controlando bem a partida, dominando o meio campo, principalmente quando o time argentino começou a enfileirar atacantes já na base do desespero.

Eis que a entrada de Everton, melhor jogador em atividade no Brasil, mas voltando de lesão, mudou o rumo da partida. Em ótimo contra-ataque, ele apareceu livre, mas chutou em cima do goleiro Armani. O 2 x 0 iria garantir a classificação gremista. E o ditado se fez presente. O River conseguiu em bola parada alçar uma bola e empatar a partida, preocupando a torcida gaúcha.

O que já estava ruim, ficou pior. Jogadores sentindo o cansaço e Renato Gaúcho foi obrigado a substituir Paulo Miranda (outra surpresa e que teve grande atuação) por Bressan. E o zagueiro levou um amarelo assim que entrou e esteve envolvido no lance da virada. De forma irresponsável, ele deixou o braço aberto na área e cometeu penalidade que foi marcada apenas pelo VAR. Segundo amarelo e chute sem chances de defesa para Grohe.

O conjunto de fatos deixou o time brasileiro sem chances para empatar o jogo. Não conseguiu criar nenhum lance real de perigo e tentou jogar bolas na área de qualquer forma e ver no que ia dar. O destaque positivo ficou para o goleiro do Grêmio, que mesmo de cabeça quente, assumiu que o Grêmio deveria ter resolvido o jogo quando teve oportunidade, minimizando o que aconteceu pela boa arbitragem (a penalidade foi lance imprudente do zagueiro gremista).

Renato Gaúcho acusou o time de ter sido roubado, tentando retirar o peso da derrota. Acho errado, até porque ele levou o time longe na competição, tinha reais chances de chegar na final, mas sentiu o fato de contar com um elenco reduzido. O time sentiu as ausências de Kannemann, Luan e Everton em melhores condições.

Agora, é focar na recuperação no Brasileiro e garantir a vaga para a Libertadores do ano que vem.

Deixe uma resposta

Copyright © All Rights Reserved · Green Hope Theme by Sivan & schiy · Proudly powered by WordPress

%d blogueiros gostam disto: