Ituano desbanca o favorito e conquista o título paulista de 2014

Com a entrada de Alison, Arouca e Cícero tinham liberdade para jogar, mas o time do Santos novamente entrou em campo nervoso e se não fosse o preciosismo dos jogadores do Ituano poderia ter sofrido gol com menos de 20 minutos.

Só que mesmo com o clima tenso, chances de gol foram criadas. Em bolas paradas Aranha foi obrigado a trabalhar, ao passo que Vagner evitou o gol santista em cobrança de falta de Cícero e cabeceio de Leandro Damião.

Quando tudo encaminhava para um primeiro tempo empatado, um pênalti a favor do Santos e Cicero novamente assumiu a cobrança, mas ao contrário do domingo passado conseguiu converter a cobrança, sendo que no início do lance não foi marcado impedimento de Cícero.

A vitória no primeiro tempo acordou o Ituano, que começou o segundo tempo buscando o jogo, indo atrás do gol de empate e foi melhor, merecendo o gol de empate.

Rildo entrou aos 15 minutos no lugar de Thiago Ribeiro, em substituição necessária por conta de lesão sentida pelo jogador no primeiro tempo.

Numa cobrança rápida de falta a bola sobrou para Geuvânio que perdeu o segundo gol que resolveria a partida.
Aranha praticou grande defesa em cobrança de Anderson Salles (que fez um ótimo campeonato e deve sair de Itu ainda neste semestre).

Chegando perto do fim do jogo, com a tensão evidente dos dois lados ainda tivemos a expulsão de Cicinho e tivemos o fim do jogo em empate, em uma partida onde novamente os valores individuais do Santos não fizeram grande partida.
Anderson Salles perdeu sua cobrança, mas na sequência de penalidades bem batidas a disputa ficou em aberto, com Rildo (que se machucou no segundo tempo) cobrando na trave.

Depois na sequência de penalidades alternadas a tensão continuou, até que Neto bateu mal para fácil defesa e garantiu o título para o time com a melhor defesa do campeonato e com bons jogadores individuais que devem desmontar este bom time.

Do lado do Santos decepciona por conta de duas más atuações nos dois jogos, com alguns jogadores que pareceram ter sentido o peso da decisão.

Agora é colocar a cabeça no lugar e recuperar-se para o Brasileirão.

Ituano apronta no Pacaembu e sai na frente na decisão do Paulistão.

A classificação do Ituano em um do grupos mais equilibrados (em termos de pontuação) não foi por acaso.

Por mais que os Corinthianos reclamem da postura frente o São Paulo, o time de Itu classificou-se para as oitavas de final com méritos.

O jogo contra o Botafogo era equilibrado e sem favoritos, mas desbancar o Palmeiras na semifinal já foi surpresa.

Mas o que poucos esperavam era uma atuação ofensiva aliada a uma má apresentação santista, lembrando o que já tinha acontecido no duelo contra o Penapolense.

A derrota por 1 x 0 acabou sendo o melhor dos resultados. Por mais que o time pudesse ter empatado em uma penalidade no mínimo contestável, o Ituano chegou a criar chances de perigo e se Rafael Silva fosse menos fominha o time poderia ter conquistado uma vitória pelo placar de 2 x 0, que deixaria o time ainda mais tranquilo para o jogo de volta.

Ok, o Santos se especializou em goleadas no campeonato só que do outro lado temos a melhor defesa do campeonato, com apenas 10 gols sofridos e que somente em um jogo deste campeonato sofreu 2 gols.

Santos continua favorito para o título, mas o Ituano tem chances de fazer história e conquistar um título histórico. Se conseguir manter a postura do primeiro jogo e segurar o Santos no primeiro tempo, pode aproveitar a pressão em cima dos jovens santistas e sair do Pacaembu com o título, mas para isso, não poderá pensar em entrar apenas pensando em se defender.

Do lado do Santos, Oswaldo precisará mexer no time, não necessariamente em nomes, mas na postura e conseguir acalmar seus jogadores para que eles pensem em pelo menos um gol (suficiente para levar a partida para as penalidades).

O jogo deste próximo domingo promete!

Melhor ataque x melhor defesa. Chances remotas de zebra e título deve ficar na Vila Belmiro

Apesar do sufoco, o Santos garantiu mais uma vez sua vaga na final do Paulistão, algo que está se tornando rotina nos últimos anos.

Acreditava que teríamos um clássico nas finais, mas eis que o Ituano levou a melhor sobre o Palmeiras e aprontou mais uma zebra no campeonato e mais um grande decepcionando no campeonato.

Por mais que o time da vila tenha mostrado falhas defensivas ao longo do campeonato e jogue a primeira partida com os desfalques importantes de Mena e Cicinho, parece difícil outra surpresa nestes dois jogos.

A defesa do time de Itu é sólida. O sistema de marcação eficiente, mas em contrapartida o ataque deixa a desejar. E isso deve fazer a diferença na partida.

Até acredito que o Ituano possa segurar a nova geração de meninos da Vila no primeiro jogo, mas em duas partidas acho complicado demais.

Por conta disso, a maior qualidade ofensiva do time de Oswaldo deve fazer a diferença e o título de 2014 do Paulistão deve ser confirmado na semana que vem pelo time do Santos.

Santos sofre, mas garante sua vaga na decisão do Paulistão

A Penapolense começou a partida mostrando que não chegou nas semifinais por acaso. Uma forte marcação e melhor adaptando a um campo molhado, prejudicando o estilo de jogo santista, que inclusive acabou sendo mais faltoso no primeiro tempo.

Só que o time da Vila saiu na frente com um gol de Cícero que contou com desvio na zaga, enganando o goleiro.
Parecia que o jogo iria ficar tranquilo, mas David Braz tratou de pôr fogo no jogo.

Primeiro cometendo um pênalti infantil, onde Guaru contou com a sorte para finalizar (bola bateu na trave e entrou). Depois em bola em profundidade uma indecisão entre o zagueiro e Aranha, com a bola sobrando para Douglas Tanque colocar o time na frente.

Além do zagueiro, um primeiro tempo ruim do time do Santos como um todo, com “destaque” para um gol perdido por Leandro Damião.

No início do segundo tempo Cicinho finalizou bem, mas a bola explodiu no travessão e até os 15 minutos a pressão santista era notada, mas muito mais pelo postura do time do interior.

Oswaldo resolveu mexer no time e colocou Rildo no lugar de Gabriel. E no primeiro lance do atacante ele disparou pela esquerda e cruzou na medida para cabeceio de Leandro Damião, empatando a partida.

Rildo entrou muito bem na partida, incendiando o jogo com jogadas pela esquerda, mas a defesa do Penapolense conseguia dar conta, mas levou um susto aos 30 minutos, em cruzamento da direita para Leandro Damião cabecear e Samuel praticar grande defesa.

Aos 39 minutos David Braz fez o gol que poderia livrar sua barra, mas o arbitro corretamente anulou o gol marcando impedimento no lance.

Oswaldo mexeu novamente no time, tirando Leandro Damião (em má partida) colocando Stefano Yuri e no primeiro lance do jovem atacante ele virou a partida marcando o terceiro gol santista.

A virada foi merecida, principalmente pelo time de Narciso ter abdicado do jogo na segunda etapa.
Vitória sofrida, desgastante, mas o Santos chega com méritos na decisão. E já terá problemas na decisão sem os seus laterais titulares contra Ituano ou Palmeiras.

Palmeiras não dá espaço para zebra e chega às semis do Paulistão

Depois do que aconteceu com o São Paulo, existiu uma certa dúvida sobre o que poderia acontecer no Pacaembu na noite de ontem.

Mas Gilson Kleina, tão questionado anteriormente, hoje começa a ganhar confiança e respeito da torcida do Palmeiras. Aproveitando os reforços contratados, resolveu manter um time ofensivo, apostando em Valdivia e Bruno César na armação, com Alan Kardec e Leandro no ataque.

Apesar de alguns lances de perigo do Bragantino, o jogo foi tranquilo e a vitória conquistada sem grandes sustos. Um 2 x 0 tranquilo, com a vaga na semifinal garantida e tendo pela frente o Ituano em jogo onde novamente o alviverde é favorito.

Confesso que me surpreendo com alguns nomes deste time, como Lúcio (não acreditava que ele ainda seria capaz de jogar em alto nível), Marcelo Oliveira (que vem surpreendendo e mostrando ser útil em várias posições). Fora isso, você tem um Valdivia motivado , querendo principalmente garantir sua vaga na Copa do Mundo.

O elenco precisa de reforços, mas o time deste ano inspira confiança na torcida e o Palmeiras é o melhor paulista da temporada, ao lado do Santos. Hoje o alviverde é um time a ser no mínimo respeitado.

Santos faz sua lição de casa. São Paulo tropeça e continua na fila do Paulistão.

O corinthians foi o primeiro grande a decepcionar neste campeonato Paulista ao ser eliminado na fase de classificação, mesmo com um regulamento claramente favorecendo os grandes.

No começo da noite de ontem, o Santos encarou o adversário teoricamente mais qualificado (Ponte Preta) e não deu chances ao time de Campinas, com uma sonora goleada por 4 x 0 , chegando aos 30 gols no ano e chegando como time a ser temido no campeonato.

Destaque para Oswaldo, que com a ausência de um meia armou um time recheado de atacantes que se movimentam, ocupam espaços e preocupam as defesas adversárias.

E a dúvida ficou sobre o adversário do time da Vila Belmiro, a dúvida sobre a possibilidade de um clássico contra o São Paulo ou o Palmeiras.

Só que a Penapolense (que já tinha complicado a vida tricolor no ano passado) veio ao Morumbi com uma proposta de forte marcação, claramente segurando o jogo e torcendo por uma bola para sair com a vitória.

O São Paulo obviamente lançou-se ao ataque, mas teve problemas com atuações individuais fracas dos seus principais jogadores. Com exceção de Osvaldo, que deu trabalho enquanto estava sendo marcado individualmente, os demais deixaram a desejar. Luis Fabiano, Ganso e Pabon mal foram notados.

No segundo tempo o 0 x 0 contribuiu para deixar a partida mais tensa, com a torcida cobrando a todo instante e o time com erros de passe primários.

Rodrigo Caio errou sua cobrança nas penalidades e a Penapolense se classifica para uma semifinal que promete pegar fogo contra o Santos, por conta da goleada de 4 x 1 a favor do time do interior na fase de grupos, com direito a declarações sobre um menosprezo em cima dos santistas.

Jogo improvável, mas que promete muito nesta semifinal.

Do outro lado, O Ituano (com a melhor defesa do campeonato) passou nas penalidades , mostrando uma mudança significativa comparando a situação do clube com anos atrás, onde quase foi rebaixado e agora espera o adversário do jogo entre Bragantino e Palmeiras.

Mesmo com regulamento a favor dos grandes, Corinthians fica fora da fase decisiva do Paulista

Em um jogo fraco, com poucas chances de gol, o Corinthians só empatou com a Penapolense e com a vitória do Ituano frente um desinteressado São Paulo no Morumbi e com uma rodada a ser disputada, o clube não tem mais chances de se classificar para a fase decisiva do campeonato.

Um Corinthians nervoso, com dificuldades em campo. Mostrando que o time melhorou, é verdade, mas pagando o preço por más atuações e o fraco desempenho nos clássicos (derrotas frente São Paulo e Santos e empate contra o Palmeiras).

A forma de disputa do campeonato claramente visa favorecer os grandes e garantir os clássicos nas fases decisivas e com uma campanha pífia o Corinthians despede-se da competição, com chances de ficar mais de um mês apenas treinando, visto que agora o time tem um jogo teoricamente fácil pela Copa do Brasil e se resolver na primeira partida terá uma folga inesperada.

O São Paulo entrou com tudo na partida frente o Ituano? Claro que não, mas é importante frisar que o Corinthians foi desclassificado por falhas ao longo do campeonato.

E o clima que estava favorável para Mano Menezes agora começa a ter nuvens negras se aproximando novamente.

Vitória tricolor em mais um grande clássico do Paulistão

Sem surpresas na escalação de ambos os times, apenas com a entrada de Renato Augusto no meio no lugar de Jadson (por razões contratuais) e um ataque com Luciano e Romarinho, enquanto que o São Paulo contava com a volta de Álvaro Pereira e Ganso mantido no meio de campo.

Um começo de partida em alta velocidade pelos dois ataques, sem um domínio evidente de nenhum dos lados.

Não tardou para que o placar fosse aberto aos 10 minutos em lance de Luciano e gol contra de Antônio Carlos.

Com o calor o ritmo aos poucos foi diminuindo, com o Corinthians cadenciado o jogo e exercendo uma boa marcação, obrigando o São Paulo a trabalhar a bola, sem o mesmo ritmo do inicio do jogo.

Muricy pensou bem o time, abrindo Osvaldo e Pabon para jogarem nas costas dos laterais do Corinthians, com o primeiro levando vantagem no duelo frente Fagner, criando jogadas pelo lado esquerdo tricolor. Já o alvinegro mostrou sentir a falta de Jadson no meio de campo, rifando as bolas, sem conseguir trabalhar jogadas ofensivas, principalmente por uma atuação apagada de Renato Augusto.

O jogo seguiu morno até que aos 38 Ganso recebeu na entrada da área e chutou sem chance de defesa para Cássio, empatando o clássico no Pacaembu, fechando um primeiro tempo movimentado e com uma ótima arbitragem.

O São Paulo voltou a campo com uma mudança, Souza (machucado) deu lugar a Wellington e Guerrero entrou no lugar de Renato Augusto, mudando o esquema do Corinthians.

Em linda jogada de Douglas pela direita o time tricolor conseguiu a virada com Luís Fabiano (marcando seu nono gol no campeonato) logo aos 5 minutos da segunda etapa.

Precisando do resultado o Corinthians foi para cima e Guerrero por duas vezes apareceu com perigo na área, assustando Ceni e o São Paulo, que repetiu o que o time alvinegro fez na primeira etapa e começou a isolar bolas na sua defesa.

O empate acabou saindo no segundo gol contra de Antônio Carlos. Guerrero bateu cruzado e o zagueiro desviou para o gol, matando Ceni, em um ótimo clássico com menos de 20 minutos jogados.

Com a torcida inflamada o momento alvinegro era melhor, criando jogadas de ambos os lados do campo, contando com boas atuações de Romarinho e Luciano, ao passo que o São Paulo pareceu sentir o empate, errando passeis fáceis e tendo problemas para sair para o jogo.

Sheik entrou aos 25 no lugar do Romarinho (cansado), buscando manter a opção corinthiana em bolas em velocidade.

Em um dos raros lances do São Paulo, Osvaldo (o melhor pelo lado tricolor) cruzou e Rodrigo Caio cabeceou e devolveu a vantagem ao time do Morumbi.

Com a desvantagem no placar Mano mexeu no time tirando Bruno Henrique e apostando em Danilo, abrindo o time na busca pelo empate, enquanto Muricy tirou Osvaldo para entrada de Ademilson.

Aos 40 um lance inesperado no que poderia render uma boa jogada de Guerrero, que antes de cruzar a bola sentiu uma lesão muscular e deixou o Corinthians com 10 em campo.

O placar de 3 x 2 foi merecido e premiou um grande clássico nesta tarde do Pacaembu.

E com a derrota o Corinthians agora precisa de duas vitórias e torcer por tropeços do Ituano, que pega justamente o São Paulo.

Vitória tricolor em mais um grande clássico do Paulistão

Sem surpresas na escalação de ambos os times, apenas com a entrada de Renato Augusto no meio no lugar de Jadson (por razões contratuais) e um ataque com Luciano e Romarinho, enquanto que o São Paulo contava com a volta de Álvaro Pereira e Ganso mantido no meio de campo.

Um começo de partida em alta velocidade pelos dois ataques, sem um domínio evidente de nenhum dos lados.

Não tardou para que o placar fosse aberto aos 10 minutos em lance de Luciano e gol contra de Antônio Carlos.

Com o calor o ritmo aos poucos foi diminuindo, com o Corinthians cadenciado o jogo e exercendo uma boa marcação, obrigando o São Paulo a trabalhar a bola, sem o mesmo ritmo do inicio do jogo.

Muricy pensou bem o time, abrindo Osvaldo e Pabon para jogarem nas costas dos laterais do Corinthians, com o primeiro levando vantagem no duelo frente Fagner, criando jogadas pelo lado esquerdo tricolor. Já o alvinegro mostrou sentir a falta de Jadson no meio de campo, rifando as bolas, sem conseguir trabalhar jogadas ofensivas, principalmente por uma atuação apagada de Renato Augusto.

O jogo seguiu morno até que aos 38 Ganso recebeu na entrada da área e chutou sem chance de defesa para Cássio, empatando o clássico no Pacaembu, fechando um primeiro tempo movimentado e com uma ótima arbitragem.

O São Paulo voltou a campo com uma mudança, Souza (machucado) deu lugar a Wellington e Guerrero entrou no lugar de Renato Augusto, mudando o esquema do Corinthians.

Em linda jogada de Douglas pela direita o time tricolor conseguiu a virada com Luís Fabiano (marcando seu nono gol no campeonato) logo aos 5 minutos da segunda etapa.

Precisando do resultado o Corinthians foi para cima e Guerrero por duas vezes apareceu com perigo na área, assustando Ceni e o São Paulo, que repetiu o que o time alvinegro fez na primeira etapa e começou a isolar bolas na sua defesa.

O empate acabou saindo no segundo gol contra de Antônio Carlos. Guerrero bateu cruzado e o zagueiro desviou para o gol, matando Ceni, em um ótimo clássico com menos de 20 minutos jogados.

Com a torcida inflamada o momento alvinegro era melhor, criando jogadas de ambos os lados do campo, contando com boas atuações de Romarinho e Luciano, ao passo que o São Paulo pareceu sentir o empate, errando passeis fáceis e tendo problemas para sair para o jogo.

Sheik entrou aos 25 no lugar do Romarinho (cansado), buscando manter a opção corinthiana em bolas em velocidade.

Em um dos raros lances do São Paulo, Osvaldo (o melhor pelo lado tricolor) cruzou e Rodrigo Caio cabeceou e devolveu a vantagem ao time do Morumbi.

Com a desvantagem no placar Mano mexeu no time tirando Bruno Henrique e apostando em Danilo, abrindo o time na busca pelo empate, enquanto Muricy tirou Osvaldo para entrada de Ademilson.

Aos 40 um lance inesperado no que poderia render uma boa jogada de Guerrero, que antes de cruzar a bola sentiu uma lesão muscular e deixou o Corinthians com 10 em campo.

O placar de 3 x 2 foi merecido e premiou um grande clássico nesta tarde do Pacaembu.

E com a derrota o Corinthians agora precisa de duas vitórias e torcer por tropeços do Ituano, que pega justamente o São Paulo.

Uma quarta-feira recheada de lindos gols

O Paulistão deste ano está nos brindando com algumas boas surpresas, dentre elas a postura do Audax, comandando pelo Fernando Diniz (mesmo com o placar elástico no jogo contra o São Paulo).

O empate do Rio Claro contra o São Bernardo por 5 x 5 jogou a média da rodada lá em cima, aliadas as vitórias convincentes do já citado São Paulo e do Corinthians, frente o Linense.

O estadual é um campeonato inchado, mas sendo melhor trabalhado (e reduzido) seria extremamente interessante e competitivo.

Depois deste inicio de rodada (sem contar os jogos de hoje) tenho a impressão que teremos mais um ótimo clássico , colocando o São Paulo (querendo garantir a liderança) contra o Corinthians (que precisa vencer seus jogos e secar os adversários para garantir a classificação na fase decisiva).

Infelizmente o clássico não contará com Pato (seria interessante ver ele contra o Corinthians) e muito provavelmente Jadson (que mudou a cara do Corinthians).

Para quem não viu os gols de ontem, vale a pena assistir aos mesmos, incluindo aí também a goleada da seleção brasileira frente à África do Sul . Por mais que seleção tenha enfrentando um adversário fraco, o setor ofensivo vem convencendo e dando mostras que na Copa deveremos ter uma equipe com futebol convicente.

Copyright © All Rights Reserved · Green Hope Theme by Sivan & schiy · Proudly powered by WordPress

%d blogueiros curtiram isso: