Corinthians 100% (e econômico) nos clássicos pelo Paulistão

No último sábado tivemos mais um clássico pelo campeonato paulista (clássicos que são a única emoção nos estaduais), colocando frente a frente Corinthians e Santos. O duelo colocou frente a frente um time “operário”, com jovens ganhando espaço mesclado alguns jogadores experientes (com Jadson puxando a fila) contra um time que contou com desfalques consideráveis (Renato, Lucas Lima e Ricardo Oliveira) e que vem causando desconfiança em sua torcida.

A Arena Corinthians recebeu um grande público (mais de 36 mil pessoas e uma renda de quase 2 milhões de reais. Se nos jogos contra times pequenos o time de Carrile encontra problemas, por precisar propor o jogo, nos clássicos é inegável que o time está se superando. Da mesma forma que no dérbi paulista, o mandante fez um ótimo primeiro tempo, criou lances de perigo e se não fosse o goleiro Vladimir , o Santos terminaria a primeira etapa perdendo por 3 x 0 (ótimas defesas em chute de Maycon – grata surpresa alvinegra , cabeceio de Balbuena e defesa em lance de Lucas Veríssimo – que resultaria em gol contra).

Não houve tempo para verificar o que Dorival disse para seus jogadores no intervalo, pois o time sofreu o gol rapidamente, em boa trama ofensiva do Corinthians, que contou com Jõ marcando seu segundo gol em clássicos. Após o gol, o Corinthians perdeu o ritmo e o Santos cresceu em termos de posse de bola e começou a rondar a meta de Cássio, mas na prática não conseguiu criar uma grande chance de perigo para conseguir o empate. O jogo ficou nervoso, de forma inesperada para o Corinthians, com algumas entradas mais ríspidas, que geraram cartões desnecessários para alguns jogadores.

Depois do jogo sofrível frente o Brusque, o clássico favorece demais o Corinthians. A segunda vitória por placar mínimo em um jogo desse porte é relevada pelo fato do time ter feito uma boa partida. Além da defesa estar apresentando a solidez dos tempos de Tite e Mano, o meio de campo começa a mostrar qualidades. Neste começo de temporada é importante valorizar as boas atuações dos jovens Guilherme Arana e Maycon, a segurança da zaga com Pablo, a proteção que Gabriel concede (preenchendo a lacuna desde que Ralf saiu) e é possível acreditar que Jadson venha a ser o ponto de desequilíbrio positivo no meio de campo deste time.

Perder o clássico para um rival sempre tem um peso, mas isso pode ser minimizado caso o Santos consiga uma boa estreia pela Libertadores. Grande chance disso acontecer será se o time puder contar com as voltas de Renato e Ricardo Oliveira e de Lucas Lima (desde que também consiga sua volta técnica, pois ele vem devendo na temporada). Infelizmente a zaga santista continua sendo um ponto fraco de um time com claras raízes ofensivas e o que preocupa a torcida santista é ver que as opções de banco estão deixando a desejar. Bruno Henrique foi um alto investimento e até agora ainda não se encontrou no time, deixando por hora a impressão que o time não conta com um elenco qualificado e até o momento não tivemos nenhuma nova revelação da ótima base santista.

Como é padrão em clássicos, o Corinthians ganha um tempo tranquilo e se foca para a Copa do Brasil enquanto que o Santos precisa dar um resposta para seu torcedor já no primeiro jogo da Libertadores.

Deixe uma resposta

Copyright © All Rights Reserved · Green Hope Theme by Sivan & schiy · Proudly powered by WordPress

%d blogueiros gostam disto: